Como o Milkspec pode te ajudar a atender às novas instruções normativas IN 76 e 77

As instruções normativas (INs) 76 e 77 trazem muitas novidades para a cadeia láctea, estabelecendo novas regras para a produção de leite desde a fazenda até a indústria. A IN 76 se refere às características e qualidade do leite na indústria. Já a IN 77 descreve critérios para obtenção de leite de qualidade e seguro ao consumidor, e que envolvem desde a gestão da propriedade, instalações e equipamentos, formação técnica, controle efetivo da mastite e outros.

 

No setor produtivo, os programas de autocontrole (PAC)  que já vinham sendo cobrados pelos fiscais dos serviços de inspeção, agora está mais claro e regulamentado na IN 77.

Os PAC devem abordar o estado sanitário do rebanho, planos para qualificação dos fornecedores de leite, programas de seleção e capacitação de transportadores, sistemas de cadastro dos transportadores e produtores, inclusive com georreferenciamento, além de descrever todos os procedimentos de coleta.

A rastreabilidade também é contemplada na IN 77. Antes do leite ser transferido para o tanque do caminhão, uma amostra deve ser coletada do tanque de cada produtor, identificada e conservada até a recepção no laticínio, procedimento este que já havia sido regulamentado pelo novo RIISPOA.

A temperatura máxima para recepção no laticínio deverá ser de 7 °C.

janvie-ordenha

Análises de qualidade

Quanto as análises para o monitoramento dos indicadores de qualidade, em geral podem ser divididas em análises diárias e mensais.

As análises diárias devem ser realizadas na recepção do leite cru e as análises mensais devem ser feitas pela Rede Brasileira de Laboratórios de Qualidade do Leite (RBQL).

Para ver a lista de análises exigidas em cada caso, selecione as opções na lista.

No caso do leite tipo A cru, a análise mensal passa a ser quinzenal.

 

  • – Índice crioscópico;
  • – Acidez titulável;
  • – Teste do álcool/alizarol na concentração mínima de 72%;
  • – Densidade relativa a 15 °C
  • – Teor de gordura, sólidos totais e não gordurosos;
  • – Pesquisas de neutralizantes de acidez;
  • – Pesquisas de reconstituintes de densidade ou do índice crioscópico;
  • – Pesquisas de substâncias conservadoras;
  • – Resíduos de antibióticos.​
  • – Teor de gordura;
  • – Teor de proteína total;
  • – Teor de lactose anidra;
  • – Teor de sólidos não gordurosos;
  • – Teor de sólidos totais;
  • – Contagem de Células Somáticas;
  • – ​Contagem padrão em placas.
Indicador % (mínimo)
Gordura 3,0
Proteína 2,9
Lactose 4,3
Sólidos não gordurosos 8,4
Sólidos totais 11,4
Estabilidade alizarol 72

Os limites da Contagem Bacteriana Total (CBT) não deverão ultrapassar 300 mil UFC/mL nas análises individuais de cada produtor. Antes da industrialização, a CBT máxima deve ser de 900 mil UFC/mL. A Contagem de Células Somáticas (CCS) não deve exceder 500 mil cs/mL na média geométrica trimestral. Para o leite cru refrigerado tipo A, a média geométrica trimestral é de 10 mil UFC/mL e CCS permanece também com a média geométrica trimestral de 400 mil cs/mL.

Especialistas no setor lácteo concordam que as IN 76 e 77 indicam a oportunidade de avanço significativo na cadeia láctea e que os níveis de qualidade exigidos são uma realidade atingível por muitos produtores. As novas normas destacam a importância do foco em qualidade, da capacitação continuada e que é chegado o momento de realizar um trabalho consciente no setor.

Milkspec®: Ferramenta complementar no monitoramento da qualidade do leite

Sabemos que alguns indicadores de qualidade do leite podem mudar entre uma ordenha e outra no mesmo dia. A vaca de leite como um animal biodinâmico em toda sua complexidade funcional, passa por diferentes condições ambientais ao longo do dia, além de fatores nutricionais e sanitários. Desta forma, garantir uma produção de qualidade, dentro dos padrões exigidos pelas novas normas pode significar um desafio inclusive para os profissionais mais experientes.

O resultado da qualidade vai depender das tomadas de decisões dos agentes atuantes no segmento, seja através dos programas de qualidade, treinamentos, adoção de medidas corretivas e de controle. É um trabalho que exige no mínimo a integração desde o produtor até a indústria e os consultores técnicos.

 

O tempo é um fator altamente determinante no sucesso de qualquer tomada de decisão.

 
time-371226_1920

Hoje com as novas INs 76 e 77 todos os agentes atuantes no segmento vão precisar ainda mais de velocidade na obtenção de informações sobre o rebanho e da qualidade do leite produzido. Pois qualquer atraso faz com que as decisões sejam tomadas tarde demais e podem resultar em inconformidades perante as novas legislações e inspeções da fiscalização.

É neste sentido que o Milkspec® se faz presente como ferramenta essencial para o monitoramento de indicadores de qualidade do leite cru refrigerado direto no campo e na recepção, permitindo os profissionais atuantes no segmento a tomarem decisões em tempo hábil para implementação de protocolos corretivos.

Como um parceiro e complemento aos laboratórios da RBQL, o Milkspec® é a ferramenta de análise diária em campo ajudando que as decisões sejam rápidas o suficiente para manter as médias geométricas das análises oficiais dentro dos níveis requeridos.

Vamos juntos impulsionar a qualidade do leite?

As novas legislações que entram em vigor vêm para fomentar o avanço no leite, para abrir espaço à inovação e favorecer as exportações da matéria-prima.

A plataforma de gestão da qualidade do Milkspec® nasceu e foi pensada para contribuir com que o agro do leite se torne referência. É um produto estratégico para uma nação que por meio de sua estrutura gestora busca fomentar e evoluir o setor lácteo.

Após a análise que dura cerca de 1 minuto, os sistema apresenta os indicadores de gordura, proteína, lactose, sólidos totais, sólidos não gordurosos e nitrogênio uréico.

Também possui indicador de Estabilidade compatível com o alizarol. Contagem de Células Somáticas com variação de ± 50 mil cs/mL e Conformidade que pode sinalizar a presença de contaminação, incluindo algum tipo de antibiótico.

O sistema é calibrado tendo como referência as análises dos laboratórios da RBQL e também através dos métodos clássicos previstos nas normas ISO e no Manual de Métodos Oficiais para Análise de Alimentos de Origem Animal do MAPA (2018).

No futuro, um indicador de CBT também será disponibilizado a todos os clientes.

Uma base de dados de produtores, animais, empresas e rotas é mantida atualizada entre todos os usuários da plataforma.

                                                                                                   Integração entre os agentes atuantes no segmento

As informações das análises também podem ficar disponíveis para acesso por todos, integrando produtor, indústria e equipe técnica.

O sistema possui controle de acesso e registra todo o histórico de movimentação. Além disso, as análises são vinculadas a no mínimo três informações: Local de origem (propriedade), tipo da coleta (animal, tanque, indústria, caminhão) e um descritivo de identificação. Como novidade, a versão mais recente engloba também um vínculo com a rota de coleta.

O sistema conta com base de dados local e remota com backup online diário. Ficam registrados data, hora e número de série do equipamento, além de todos os dados as análises.

As análises são sincronizadas por meio da internet e a equipe de coordenação da qualidade pode acompanhar a distância via painel as informações mais recentes, além de geração de relatórios diversos. No futuro, será disponibilizado um aplicativo para smartphone a fim de tornar a experiência ainda mais prática.

Contamos com uma equipe treinada e disponível para atendimento presencial e remoto. Atualizações e manutenções do sistema são programadas sempre com antecedência.

A padronização das análises é garantida em qualquer região e cada equipamento passa por um rigoroso processo de qualidade e calibração. Novidades no sistema de calibração são distribuídas a todos os clientes para garantir uniformidade e repetibilidade de resultados.

DNA de inovação

O trabalho não para! O sistema segue evoluindo rapidamente e se tornando referência de ferramenta essencial para nossos clientes, que a cada dia ganham novos recursos.

O nosso propósito é gerar e organizar as informações da qualidade do leite, melhorando a vida das pessoas e promovendo bem estar animal.

Vamos juntos!

Bionexus

Assessoria de Comunicação Pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica no segmento agro. Copyright © 2014-2019 - Bionexus Allagro®

Comments are closed.

×

Olá!

Clique na imagem para falar conosco no Whatsapp ou clique aqui para enviar-nos uma mensagem.

×